terça-feira, 4 de maio de 2010

Projeto Navegar Na Melhor Idade




O projeto “Navegar na melhor idade” está em atividade há mais de um ano e, ainda assim, a procura pelas aulas não diminui. De acordo com o monitor Luiz Fabiano de Araújo Antunes, a listinha de espera só vem aumentando e já chega aos 55 nomes. Ele acredita que a divulgação “boca a boca” foi o que mais contou para o sucesso do projeto, que inclui digitalmente pessoas com mais de 40 anos sem familiaridade com o computador.
Fabiano chegou ao posto no início de 2009, depois de quatro anos jogando futebol no Vietnã. A saudade da família o trouxe de volta ao Brasil e ele resolveu abandonar o esporte. Conseguiu um emprego no posto do Acessa SP de Ourinhos, onde o projeto voltado para a terceira idade já estava em andamento. Ele resolveu abraçar a causa, fez as adaptações necessárias e aprendeu a exercitar o dom que ele mesmo dizia não possuir – o dom da paciência.
Para exemplificar o aprendizado adquirido, ele conta a história de uma senhora de 60 anos que, logo no primeiro dia de aula, pensou em desistir. “Ela não conseguia entender as coisas e ficava nervosa, a ponto de chorar. Então eu disse pra ela voltar no dia seguinte, comecei a ensinar as coisas aos poucos. Hoje ela tem laptop, usa Internet, tem Orkut, três endereços de e-mails e até Skype, que nem eu uso!”, surpreende-se.
Semanalmente, o projeto atende uma média de 30 pessoas, com aulas diárias com uma hora de duração. Cada aluno pode fazer duas aulas por semana. Para respeitar as limitações individuais, o acompanhamento é feito caso a caso e cada pessoa cumpre as tarefas de acordo com seu ritmo.
O posto de Ourinhos tem 10 computadores e, geralmente, são reservados cinco para a prática do projeto. Os primeiros contatos dos alunos com o mundo digital começam com o trabalho de manuseio do mouse. Para os que têm mais dificuldade, Fabiano utiliza o editor de imagens Gimp, para que o aluno ganhe mais firmeza no movimento.
Na sequência, eles iniciam a prática de digitação, por meio de um curso gratuito disponível na Internet. A última etapa é partir para grande rede: a criação de um e-mail para cada um e navegação livre pelos sites da Internet. “Eles ficaram mais confiantes, mais independentes, hoje fazem o que querem na Internet. É muito gratificante ver que eles evoluíram super rápido”, observa o monitor.

Informação, lazer e serviço

A aluna mais velha do projeto tem 89 anos mas, pelo que Fabiano conta, a idade não é fator limitante quando o assunto é aproveitar o que a grande rede tem pra oferecer. De acordo com ele, os sites mais procurados são os relacionados à Nota Fiscal Paulista, jornais, revistas e sites de culinária, no caso das mulheres.
Além disso, existem aqueles que aproveitam para rever familiares que moram em outras cidades ou países: “Tem uma usuária que nasceu na Itália e usa o computador pra ver sua família”, afirma.
Em dezembro de 2009, foi realizado um café da manhã no posto como confraternização e encerramento do ano, com cerca de 20 participantes do projeto. Eles tiveram um pequeno período de férias mas, já no início deste ano, as atividades foram retomadas.
“Pra mim foi um desafio muito grande vir trabalhar aqui. Foi uma mudança difícil, pois tive que mudar da água pro vinho, mas, aos poucos, foi dando certo. Hoje percebo que tenho condições de fazer o que eu quero, acredito que em tudo que for fazer na vida serei bem sucedido", avalia.
Quem quiser participar do projeto pode ir até o posto, deixar nome e telefone. Novas vagas serão abertas de acordo com as desistências ou readaptações de horários dos alunos atuais. O posto funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, e fica na R. Henrique Tocalino, 264, em Ourinhos.